Café com Reforma – sobre Residência Terapêutica

31/07/2012

Anúncios

ECONOMIA SOLIDÁRIA DINAMIZA A RENDA EM CAMPINAS

31/07/2012
Veja a Página da 2. Mostra Nacional de Práticas em Psicologia (clique aqui)

Projeto promove inclusão social de usuários de saúde e da comunidade por meio da culinária

Inclusão social por meio do trabalho e geração de renda. Este é o foco do projeto Clube dos Sabores, que reúne usuários de saúde, saúde mental e pessoas com alto grau de vulnerabilidade social nas regiões sudoeste e noroeste de Campinas, interior de São Paulo. O
grupo participa de feiras-livres e eventos da região vendendo pastéis, refrigerantes e sucos.

A iniciativa começou em 2007 e envolve serviços públicos de saúde, como a Casa das Oficinas e o Centro de Convivência e Cooperação Tear das Artes. Além disso, utiliza os preceitos da economia solidária, incentivando a auto-gestão do trabalho e o cooperativismo. O projeto será um dos 5 mil apresentados durante a 2ª Mostra Nacional de Práticas em Psicologia, que acontece entre os dias 20 e 22 de setembro, no Anhembi, em São Paulo.

Para uma das coordenadoras do Clube dos Sabores, Mônica Krieck, terapeuta ocupacional, o trabalho deixa os usuários mais autônomos. “Eles conseguem tomar decisões a partir do próprio processo de trabalho, se organizando de forma consistente. Possuem espaço na comunidade, são reconhecidos”, revela. O grupo conta atualmente com cerca de 20 pessoas, entre usuários e representantes da comunidade.

Na visão de Krieck, a função da coordenadoria é a de facilitar as tarefas dessas comunidades, no sentido de promover uma reflexão em conjunto com eles em relação ao trabalho, com normas, regras e acordos construídos coletivamente. “A maioria tem dificuldade de inserção no mercado e a gente tenta fazer essa inclusão de forma diferente, ampliando a iniciativa, a autonomia, a reflexão crítica e o exercício do pensamento desses usuários”, diz.

Para ela, trata-se de um projeto inovador, que envolve serviços diferentes de contextos distintos de geração de renda. “As experiências realizadas apresentam como diretriz a visão de trabalho enquanto processo coletivo e solidário, como meio de criação e ação sobre o mundo, produção de vida e de cultura, possibilitando a expressão e a construção da identidade do sujeito, considerando sua subjetividade com os princípios da economia solidária”, pontua.

Um dos principais desafios do Clube dos Sabores é desconstruir o estigma da doença mental. Neste ponto, a coordenadora é bem enfática: “Através da superação de obstáculos estes sujeitos estarão preparados para trilharem sozinhos seus caminhos no mundo”.

Sobre a Mostra

A 2ª Mostra Nacional de Práticas em Psicologia marca o ápice das comemorações dos 50 anos da regulamentação da profissão no Brasil. Ao todo, já são mais de 20 mil inscritos em todo o País.

Será um evento rico em experiências, trocas e intercâmbios entre psicólogas, psicólogos e sociedade. A entrada é gratuita e as inscrições estão abertas.


Programação Cultural da Feira dos Pais na Paulista, dia 04 de Agosto

27/07/2012

Apresentações Culturais – VIII Feira de Saúde Mental e ECOSOL

Dia 04 de Agosto (sábado) – Pq Mario Covas – Av. Paulista

Venha se divertir conosco!! Traga sua família e amigas (os) para participar de nossa Economia Criativa, Inclusiva e Solidária!!

Apresentações:

10h30 – Grupo Mosaico, do CECCO Bacuri

Discotecagem

12h – Maycon Pop

Discotecagem

13h00 – Retalhos de Cetim – Campinas

14h – Edson Luis da Silva ( Rapper ED )

Discotecagem

16h – Fabrisio Fernando Chiarinelli Ferreira – Maicon Cover

Discotecagem

Caricaturas durante a Feira:

Renê Paulauskas


Rede de Saúde Mental e ECOSOL foi tema de exposição em Mondragon/Espanha

27/07/2012

A Rede de Saúde Mental e ECOSOL foi tema de uma exposição na Matéria Desenvolvimento Comunitário, Local e Territorial da Faculdade Mondrágon/ Espanha.

MONDRAGON é fruto do movimento cooperativo iniciado em 1956, ano que se criou a primeira cooperativa industrial na localidade guipuzcoana/Espanha; Atualmente o Complexo Cooperativo Mondragon tem 83 mil trabalhadores, sendo 85% cooperativados, em diversos segmentos econômicos.

Quer Conhecer Mais sobre o Complexo Cooperativo Mondragon (clique aqui)

Vejam um Breve Resumo da Apresentação de Isabel Cristina Alves do Ponto de Cultura Caminhos (Hortolândia) que já participou de nossa Feira (comercializando Acarajé):

                                                              RELATO

Sou Isabel e estive durante 03 meses no país basco cursando master em gestão econômica e social para o desenvolvimento em economia solidária. Conheci e vivi experiências das cooperativas de Mondragón que trabalha a intercooperação como estratégia de desenvolvimento econômico. A corporação Mondragóm sob a perspectiva econômica solidária tem no seu modelo organizativo o objetivo de criar comunidades viáveis economicamente.

Uma das matérias era Desenvolvimento comunitário, local e territorial e o grupo tinha como desafio, o compartilhar de experiências conhecidas ou vividas.

Compartilhei a experiência da Rede de Saúde Mental e Economia Solidária como um dos maiores exemplos propositivo que conheço. Descrevi a rede e seu viés de isenção social, através do trabalho, formação, trocas de experiência e conhecimentos, que se dá na comercialização em rede e no uso de tecnologias sociais.

A rede de saúde mental composta por usuários, pacientes do sistema de saúde mental articula-se coletivamente na produção, comercialização e representação politica. O resultado do trabalho da rede se ilustra através dos efeitos terapêuticos, sociais, cidadania e elevação sócio econômica.

Na construção de uma rede solidária o grupo vem construindo um território socialmente responsável, de transformação social, autonomia em um sistema territorial que conjuga e equilibra todos os aspectos econômicos, sociais, ambientais e culturais, buscando uma melhor qualidade de vida para os participantes.

No desenho da construção da rede pode-se observar certas características que ressalto aqui:

Inovação social com respostas criativas a demandas sociais,

Integridade no urbanismo, ação social, educação e emprego,

Democracia participativa que leva ao empoderamento, participação e cidadania,

Condições básicas como oportunidade, possibilidade e necessidade apontam que é possível ter um território responsável socialmente.

Propostas transversais e parciais são trabalhadas pela rede na construção de um território de transformação sinalizadas pelos grupos ecosol, banco ético, finanças alternativas, mercado social e   consumo responsável.

Finalizo dizendo que a Rede de Saúde Mental e Economia Solidária avança na construção de territórios inclusivos, onde a acessibilidade, participação social, serviços públicos de qualidade e     investimento social, princípios de igualdade e de reconhecimento da diversidade, são pensamentos   estratégicos que constituem o processo de fortalecimento das iniciativas coletivas da rede.

Essa é a Rede de Saúde Mental e Economia Solidária do estado de São Paulo, vista por mim e apresentada ao grupo latino do curso Master em gestão Econômica e Social em Economia Solidária na Faculdade de Mondragón no dia 02/07, como modelo de desenvolvimento comunitário.

Agradeço ao Leo Pinho e a rede que disponibilizou informações, textos, fatos e fotos que ilustraram a mim há apresentação e que contribuiu para a minha média 08 na matéria.

Olorum Modupé,

Alguidar de beijos, meu e de todos que conheceram um pouco do trabalho de voces!

Asé!


Orientações para as BARRACAS que irão participar da Feira dos Pais na Paulista

26/07/2012

Orientações para o dia da Feira

1. Chegar 08h30min para organizar a barraca, sendo de responsabilidade do grupo/projeto/empreendimento o material necessário para a decoração.

2. Trazer os Produtos bem embalados, para descarregar rapidamente. Descarregar os produtos nas ruas laterais do Parque, pois no seu entorno é proibido, pela CET;

3. Os Empreendimentos participantes da nossa FEIRA não poderão vender bebidas alcoólicas;

4. Trazer IMPRESSO 2 cópias da planilha de vendas, realizando durante a FEIRA o registro de todas as vendas independente da forma de pagamento (dinheiro, cheque, cartão). Uma das cópias será recolhida pela comissão, juntamente com a taxa de 5%. A TAXA de Limpeza será de R$ 4 e será recolhida no inicio da FEIRA;

5. No final da FEIRA, 17 horas, vamos recolher os 5% baseado nas vendas realizadas. Cada grupo/projeto/empreendimento necessita ter uma pessoa responsável para tratar dos assuntos referentes às vendas do dia inteiro, inclusive para fazer o calculo dos 5%. Caso haja troca de turno, é importante que todas as informações sejam passadas para quem ficará até o final da feira;

6. A Feira se encerra as 17h, as barracas precisam estar TODAS desocupadas e limpas antes das 18h.

7. Vamos ter Panfletos sobre a REDE, distribuir para os consumidores (em especial aqueles que não são da saúde mental) visando divulgar nossos valores e idéias;

8. Levar sacos plásticos, caixas para colocar em volta da sua barraca. Todo o resíduo produzido deve ser levado embora não podemos deixar “lixo” no Parque. Pedimos atenção especial a limpeza, precisamos deixar o Parque “limpo”.

9- Levar água, suco, etc para consumo próprio;

10 – Levar banquinhos, cadeiras para melhor acomodação dos trabalhadores durante a feira;

11. Orientar não pisar na GRAMA. (terá fita zebrada no entorno da grama)


Ata Reunião da REDE – 12 de Julho

23/07/2012

Reunião Rede de Saúde Mental e Economia Solidária

Presentes: Cecco Santo Amaro, Caps Lapa, Caps Embu das Artes/ProjetoBarraca, Conviver, Aasmer, Caps Itapeva, Caps Perdizes, Cecco Mooca, Cecco Vila Maria/Vila Guilherme/Trote, CAEF Pós Custódia, Cecco Ibirapuera, Katita, ITCP-USP, CAPS III Mandaqui, CAPS II Cidade Ademar, CAPS AD Osasco, NUPE Santo André, Caps II Taboão da Serra, Caps Jd Rio Branco, Caps III Mater, Ambulatório de Saúde Mental São Vicente, Mental Shop, Cecco Vila Prudente, Caps Unifesp, Cecco Bacuri, Fórum Gera Renda, NOT-Campinas, Casa das Oficinas, Bar Saci, Nutrarte, Cecco Raul Seixas, CRP-SP, Caps Leste Diadema, Caps Norte Diadema, Caps Sapopemba, O Bar BibiTanTan, Bonecas MaKena, 

Relatora: Elaine, Cecco Raul Seixas

Informes:

Conexão Solidária.

No dia 02 de julho uma comissão formada por representantes do fórum Gera Renda e Rede de Saúde Mental e Economia Solidária foram conhecer a Conexão Solidária. A Conexão Solidária é uma Central de Comercialização, é uma iniciativa da Agência de Desenvolvimento Solidário – ADS que tem como principal objetivo conectar produtores e consumidores valorizando o potencial e criatividade de quem produz e a satisfação de quem consome, em uma rede de comercialização solidária, para conquistar a sustentabilidade econômica, financeira e social de Empreendimentos Econômicos Solidários. Os visitantes relataram que tiveram uma boa receptividade, o espaço é muito interessante. Um dos objetivos da visita foi solicitar o espaço para que os empreendimentos que compõem a rede possam fazer uma exposição de seus produtos para uma melhor apreciação da SUTACO, com o objetivo de comercialização em suas lojas. Há a possibilidade que empresas também participem da mostra dos produtos neste dia. Foi sugerido o dia 21 de setembro para a exposição dos produtos e um possível seminário, com o tema Saúde Mental e Economia Solidária. Para essa Mostra os empreendimentos devem pensar nos produtos que são de melhor qualidade, que são a “cara” do projeto.

Para saber mais: http://conexaosolidaria.org/

Mostra de Trabalhos em Psicologia:

Adriano do CRP informa que nos dia 20, 21,22 de setembro haverá uma mostra de trabalhos em Psicologia, haverá vendas de produtos artesanais. A rede terá uma barraca. Encaminhamento: Adriano buscará mais informações e para a próxima reunião da Rede este se tornará um ponto de pauta.

Parcerias

A rede já teve respostas de todos os parceiros que apoiam a Feira, Unisol Brasil, Cursinho da Poli, Administração do Parque Mario Covas e CRP.

Reunião no Parque Mário Covas:

No dia 11 de julho uma comissão da Rede (Leo, Carlos e Gislene) realizaram uma reunião com a Administração do Parque para formalizar a parceria para a próxima feira. A administradora aponta algumas questões ocorridas na feira anterior, que não podem se repetir, o que pode comprometer a utilização do Parque para as próximas feiras:

– Na feira anterior não houve a entrega do documento solicitando a utilização do espaço na Secretaria do Verde e Meio Ambiente, convite formal;

– Houve vendas de bebidas alcóolicas por barracas nossas, o que não pode ocorrer novamente em hipótese alguma.

A administradora diz que até o momento ainda não há o contrato da empresa de limpeza, é possível que até o dia 20 já tenha uma resposta, caso seja negativa, os banheiros utilizados serão os do Parque Trianon. E para utilização dos do Parque Mario Covas teremos que providenciar pessoas para limpar, bem como, os materiais de uso para limpeza, papel higiene, papel de mão etc.  Quanto à segurança, não há previsão de contratação.

Leonardo providenciara o documento e o Carlos e Gislene irão protocolar o documento para utilização do Parque.

CRP: encaminhou email solicitando uma reunião com a Rede para o dia 1 de agosto, às 17h, para tratar das parcerias. Comissão para a Reunião: Elaine Cecco Raul Seixas, Carlos Caps Lapa, Carol Nutrarte, Leo Assessor da Rede, Ana Galuzzi Cecco Ibirapuera e Rangel Bar Saci. O grupo observou que a reunião acontecerá muito próxima a data da feira, houve sugestão de encaminhar ofício ao CRP, para que confirme o apoio à feira. Elaine encaminhará o oficio.

Comunicação:

Mais uma vez representantes do Fórum GeraRenda,  que foram excluídos do egroup da Rede, o que tem prejudicado o acesso às informações. É informado que há uma tentativa de solucionar o problema. Houve sugestão de criação de novo egroup caso o problema não seja solucionado. A reunião decidiu sua inclusão e permanência no egroup devido o mesmo ser aberto.

Pautas:

 – SUTACO

Cecco Ibirapuera diz que houve queixa por parte dos usuários durante o processo de cadastramento para carteirinha da Sutaco, segundo afirmaram, os técnicos foram muito rígidos, o que ocasionou certo desconforto. Sugestão de haver uma conversa com a Sutaco sobre a situação relatada. Houve uma frustração muito grande por parte dos técnicos e usuários por não serem contemplados neste momento com as oficinas. Foi esclarecido que, conforme já dito na reunião anterior, o critério foi pelo número de horas, ou seja, os projetos que pediram menos horas. Outros empreendimentos também falaram sobre projetos foram aprovados e que ainda não foram executados. O grupo refletiu sobre como se dá a relação com o poder público/políticas públicas. Sugestão de organização de Seminário interno para discussão. Aprofundar essa questão se faz necessária inclusive para embasar os delegados para a Plenária Nacional de Economia Solidária, que ocorrerá em dezembro.

VIII Feira

– Estrutura: O orçamento para a estrutura da feira fica em torno de cinco mil e quinhentos reais. Geralmente o CRP apoia com três mil reais, o que é destinado para o aluguel das barracas. Também será solicitado apoio a outros parceiros como Cáritas, Unisol e Cursinho da Poli. Há sugestão para que outras entidades possam ser contatadas para abrir uma possibilidade de parceria, como o Conselho Regional de Serviço Social – CRESS, sindicatos, entre outros. Leo mandará um modelo de ofício para que as pessoas que tem contatos com essas entidades possam solicitar a parceria.

– Moeda Social “Qualquer” – A comissão executiva coloca um ponto de discussão sobre o uso da Moeda social. Apesar de já ter sido deliberado em reuniões anteriores que na feira de Agosto a moeda Social seria utilizada, foram ponderadas algumas questões:

1-    Há poucas notas de Qualquer impressas, em média 3 mil reais, o que significa haver um câmbio constante;

2-     12 pessoas implicadas diretamente no trabalho de Câmbio, já que não haveria uma barraca fixa, as pessoas circulariam para fazer a troca, e também haveria troca de turno;

Muitos participantes disseram sobre o significado da Moeda Social, ela é uma marca, quem está desde o início da construção da Rede, tem mais presente esse sentido, é preciso retomar essa discussão para que esse sentido não se perca. Sugestão de esse ser mais um ponto para o Seminário Interno. Quanto à impressão de novas moedas, Ana Luiza do Bar Bibitantan, Ana Galluzi do Cecco Ibirapuera e Cleusa do Fórum GeraRenda, ficaram de verificar esta possibilidade através de seus contatos, apresentar orçamento.  O grupo delibera que, diante das questões apresentadas, neste momento fica inviável a utilização do Qualquer.

Panfleto Explicativo: Com o apoio da Unisol Brasil, serão impressos 2000 panfletos explicativos sobre o que é a Rede, Leo fará um texto e encaminhará para o egroup para que todos possam ler e fazer alterações e ser aprovado. Como não será utilizada a moeda, o panfleto explicativo é uma forma de os participantes da feira conhecer o trabalho da Rede. Data de envio domingo e tempo de sugestões segunda e terça.

– Porcentagem de Contribuição para a Rede:

Na reunião que antecedeu a última feira houve uma discussão sobre o aumento da taxa de contribuição, de 1% para 3%, e que na próxima feira essa taxa seria novamente colocada em Pauta, a sugestão foi de 5%.  Em processo de votação, a nova taxa foi aprovada com 26 votos, 7 votos foram contra, 4 abstenções e alguns não se manifestaram.

– Planilha de Vendas: Rute encaminhará para o email da Rede a Planilha de Vendas, é imprescindível que todos os projetos tenham a planilha para que anotem as vendas, para ao final da feira a Comissão possa fazer a Soma de quanto foi vendido;

– Cada barraca deverá ter uma pessoa de referência que tenha conhecimento de todos os produtos que foram vendidos para passar os valores à comissão;

– Os trabalhadores de cada barraca serão responsáveis pela limpeza do entorno;

– É importante que levem água e bancos para sentar.

– Taxa de limpeza: Cada projeto contribuirá com uma taxa de 4 reais para a limpeza Geral do Parque. Márcia falará com José do Cecco Mooca, que fez esse trabalho na última feira, a Con se disponibilizou a trabalhar no dia.

– Comissão que irá recolher planilhas e taxa de limpeza: Ana Luiza, Cleuza, Maria Isabel, Ellen, Elaine e Rute.

-Critérios de Participação na feira: A comissão executiva apresentou uma proposta de participação na feira:

1) Participação nas Reuniões da REDE (3 últimos meses, sendo que o empreendimento, oficina e projeto deve ter representante participando em pelo menos nas duas ultimas reuniões);

2) Em caso, de necessidade de divisão ou impossibilidade de participação o critério a ser utilizado é maior numero de participação nas reuniões da REDE em 2012;

3) Os projetos/ empreendimentos individuais irão dividir barracas.

O grupo refletiu que os critérios apresentados são importantes, e percebe-se que há empreendimentos que comparecem às reuniões apenas às vésperas da feira, não havendo um comprometimento de fato com a construção da Rede.

Além das propostas apresentadas, que foram aprovadas, o coletivo aprovou mais duas:

1- Projetos que já se inscrevem para a feira dividindo com outros, não entrarão na divisão de barracas, caso seja necessária a divisão, ex: Fórum, Gerarenda, NUPE, Rede Prosol, entre outros;

2- Empreendimentos que não são da Saúde Mental, poderão participar desde que sejam ligados a lutas sociais, que levantem “uma bandeira” e que também sejam Participantes ativos da Rede. Isso reforça o caráter intersetorial a que se propõe a Rede.

Próxima Reunião da Comissão Executiva: dia 25 de julho, quarta-feira às 9h. Irão Compor a Comissão: Márcia CECCO Mooca; Eliza PUC SP, Leo Assessor Técnico da Rede, Gino CAEF Pós Custódia, Roberval Mentes Studio; Ana Galluzzi – CECCO Ibirapuera, Carla Caps Jd Rio Branco/Mental Shop, Gislene Cecco Bacuri, Carol Nutrarte, Carlos Caps lapa; Elaine Cecco Raul Seixas, Liane Cecco Vila Prudente, Patricia Caps Embu das Artes, Werner – ITCP-USP, Maria Isabel Caps Unifesp, Afonso Caps Unifesp.


Autorização do Uso do Parque Mario Covas – Feiras Solidárias

18/07/2012

Autorização do uso do Parque Mário Covas é feita pela Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente – SP

No dia 11 de julho (quarta-feira) uma comissão tirada em reunião da Rede representada por: Gislene (Cecco Bacuri), Carlos (Presidente da Cooperativa Social 18 de Maio e do CAPS Lapa) e Leo Pinho (assessor técnico da Rede) estiveram com a responsável de eventos do Parque Mário Covas para tratar dos detalhes de organização da Feira do dia 04 de Agosto.

No dia 16 de Julho representando a Rede: Gislene e Carlos, estiveram na Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente na área de eventos para pegar o Termo de Autorização do Uso do Parque Mário Covas. O mesmo já estava assinado pelo Secretário autorizando a Feira do dia 04 de Agosto, como também, já autorizando o uso no dia 06 de outubro. Garantindo nossas duas Feiras restantes no ano de 2012.

A conquista e efetivação do uso do Parque Mário Covas é uma grande conquista da Rede Estadual de Saúde Mental e Economia Solidária, bem como, mantermos um calendário permanente de Feiras Solidárias, já estamos na oitava edição. Essas conquistas são fruto na articulação de centenas de projetos e empreendimentos de trabalho espalhados em diversos municípios do Estado de São Paulo que apostam num processo coletivo e autogestionário de organização em REDE.

No dia 04 de Agosto divulgue e traga seus amigos, amigas e Pais para fazermos uma Grande Feira Solidária na Paulista! Mostrando a potencialidade criativa e produtiva dos usuários!!! Fortalecendo a ECOSOL e o Comércio Justo e Solidário!