Semana da Luta Antimanicomial 2011, por CRP-SP

SEMANA DA LUTA ANTIMANICOMIAL 2011

Com eventos na Sede e nas Subsedes, CRP SP comemora o Dia Nacional da Luta Antimanicomial

No dia 24 de maio, terça-feira, Sorocaba foi sede de dois eventos que colocaram em discussão na cidade a necessidade de inverter o quadro que faz do município aquele que possui no Brasil o maior número de leitos em hospitais psiquiátricos e, pior, o que estatisticamente apresenta maior número de mortes entre os usuários de serviços de saúde mental no País.

O primeiro evento foi realizado à tarde, na Praça do Campolim. Uma manifestação organizada pelo Conselho Regional de Psicologia de São Paulo em parceria com o Fórum de Luta Antimanicomial de Sorocaba-Flamas reuniu, além de sorocabanos, pessoas vindas de São Paulo, Santo André, São Bernardo, Campinas, Botucatu e Embu das Artes, entre outras cidades, e que buscou sensibilizar a população local para exigir do poder público serviços de Saúde Mental em consonância com a Reforma Psiquiátrica Brasileira. A ação contou com a participação da banda Esperança na Música, formada por usuários de serviços de Saúde Mental de Campinas, além de bandas locais.


Grupo Esperança na Música animou manifestantes no Campolim
Foto: Waltair Martão / CRP SP
À noite, um ato público na Câmara Municipal, coordenada pelo vereador Izídio de Brito Correia (PT), reuniu representantes do Movimento Luta Antimanicomial para denunciar o descaso do município com a Saúde mental, discutir e cobrar ações dos organismos públicos nesta área. Diante de uma plateia que tomou as dependências do parlamento municipal, estavam na mesa de debate, além do vereador, a coordenadora da Subsede de Sorocaba do CRP SP, Rosana Ragazzoni Mangini, a conselheira do CRP Marilia Capponi, a usuária do CAPS Butantã e trabalhadora da Casa do Saci Risonete Fernandes da Costa, a defensora pública Daniela Skromov e o psicólogo Lúcio Costa, representante do Flamas, o Sindicato dos Psicólogos do Estado de São Paulo -SinPsi e colaborador da Subsede de Sorocaba. A audiência contou ainda com uma apresentação teatral de alunos da Faculdade de Terapia Ocupacional de Sorocaba, que retratou o sofrimento de uma pessoa com transtorno mental diante do preconceito da sociedade.


Detalhe de artesanato produzido por usuários do CAPS II de Embu das Artes
Foto: Waltair Martão / CRP SP
Semana da Luta
Essas ações em Sorocaba, na verdade, fizeram parte de uma ampla programação que o CRP SP, em parceria com várias entidades, organizou para comemorar o 18 de maio, Dia Nacional da Luta Antimanicomial. A data, comemorada há 24 anos, tem como principal objetivo manter acesa a chama que dá vida à Reforma Psiquiátrica, dos que lutam por uma sociedade sem manicômios.

Os eventos se concentraram na chamada Semana da Luta Antimanicomial, de 16 a 21 de maio, na Capital e no Interior. Desta vez, o Conselho garantiu que boa parte dos eventos fosse on-line, permitindo que as pessoas, de qualquer ponto, pudessem acessar as discussões e (até) interagir, enviando perguntas e comentários ao vivo. Para o sucesso de sua realização, o CRP contou com o apoio de várias entidades, como a Associação Brasileira de Saúde Mental-Abrasme, a Associação Vida em Ação, o Flamas, o SinPsi e a Rede de Saúde Mental e Economia Solidária.

A Semana começou no dia 16, segunda-feira, com a mesa-redonda “Saúde Mental, Política Pública e Situações de Calamidade: Estamos Preparados(as)?” O encontro reuniu psicólogos e especialistas que apresentaram um dos temas que mais têm recebido destaque dentro do Sistema Conselhos. Em seus depoimentos contaram experiências em situações de tragédia, orientando e motivando os profissionais que se interessam por esta temática. Estiveram na mesa de trabalhos Cássio Rogério Dias Lemos Figueiredo,conselheiro do CRP SP e integrante do Grupo de Trabalho Interinstitucional Emergências e Desastres; Karine Dutra, assessora da Coordenação Nacional de Saúde; e Letícia Nolasco, representante da ONG Médicos Sem Fronteiras. Foi apresentado por Karine também um vídeo ? Vigilancia em Saúde nos Desastres: A experiência de Rio Branco/AC ? do Projeto Comunicação em Saúde, uma produção audiovisual a partir de um convênio entre a Fiocruz e a Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde.


Emergências e Desastres se impõem como novo foco de atuação dos psicólogos
Foto: Waltair Martão / CRP SP

Em defesa do SUS
No dia 17 de maio, O Instituto de Saúde da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo cedeu seu auditório para o debate “Privatização do SUS ? A Saúde Pública não é mercadoria”. O evento teve a participação do Dr. Arthur Pinto Filho, promotor de Justiça de Direitos Humanos área de Saúde Pública do Ministério Público do Estado de São Paulo, Fernando Aith, advogado e professor do Departamento de Medicina Preventiva na Faculdade de Medicina da USP; e da psicóloga Lumena Furtado, secretária adjunta da Secretaria de Saúde de São Bernardo do Campo e ex-presidente do CRP SP. O encontro foi coordenado pela conselheira do Conselho Federal de Psicologia Maria Ermínia Ciliberti, especializada em gestão pública em Saúde, atuando na Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo.

A defesa do SUS ditou o tom do debate. Os convidados apresentaram um histórico e uma avaliação dos serviços públicos de saúde no Brasil, destacando a criação do SUS, suas conquistas, sua defesa pela não-privatização e o que ainda é preciso para de fato garantir a todos e a todas o acesso universal, gratuito e de qualidade à Saúde, incluindo a Saúde mental, também inserida neste contexto.


Apesar das conquistas, ainda há muito a se lutar pelo SUS
Foto: Sergio Valério / CRP SP
Manifestação na Alesp
No dia 18, à tarde, diversos grupos representativos da Luta Antimanicomial, como o CRP SP e o Conselho Federal de Psicologia, se concentraram em frente à Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo?Alesp pra chamar a atenção da população para o fechamento dos manicômios e a efetivação de uma rede substitutiva que atenda integralmente a todos os que sofrem com o transtorno mental. Um boneco gigante, representando o artista Arthur Bispo do Rosário recebeu a todos os presentes num divertido cortejo lúdico.


Boneco de Arthur Bispo do Rosário se juntou à manifestação em frente à Alesp
Foto: Waltair Martão / CRP SP
Na sequência, os integrantes da manifestação participaram de uma audiência pública, no auditório Franco Montoro. Na mesa do debate estiveram presentes os deputados, pelo PT, Hamilton Pereira, Carlos Grana, João Paulo Rillo, Marcos Martins, José Candido e Adriano Diogo e, pelo PSOL,Carlos Giannazi. O psicólogo Lúcio Costa, representando o CRP SP, o SinPsi e o Flamas, também integrou a mesa. Na oportunidade, além dos parlamentares e psicólogos presentes, diversos usuários e integrantes de movimentos puderam dar seu depoimento.


Grupos em defesa da reforma psiquiátrica se fizeram ouvir no parlamento paulista
Foto: Waltair Martão / CRP SP
À noite, na sede do Conselho, houve um coquetel de lançamento da terceira cartilha popular do CRP, Bem-querer é o melhor remédio ? A Psicologia e sua interface com o atendimento integral à Saúde Mental e, em seguida, um debate sobre “Movimentos sociais antimanicomiais”.


Público participou ativamente dos debates promovidos pelo CRP
Coordenado pela psicóloga Elisa Zaneratto Rosa, doutoranda em Psicologia Social e professora e da PUC-SP, o evento teve como convidados Eduardo Mourão Vasconcelos, psicólogo e cientista político e professor da UFRJ, e Marcos Vinícius de Oliveira Silva, psicólogo e mestre em saúde pública pela UFBA, onde é professor adjunto. Os depoimentos buscaram fazer um retrato atual da Luta Antimanicomial, um histórico das lutas, uma avaliação das conquistas e o que ainda é preciso ser feito para a efetiva implantação da rede substitutiva, entre outros aspectos. Vasconcelos deixou disponível no site do CRP um texto de sua autoria sobre o tema.


O psicólogo Marcus Vinicius fez coro pela efetiva implantação da rede substitutiva / Eduardo Vasconcelos frisou o histórico de conquistas da Luta Antimanicomial
Foto: Sergio Valério / CRP SP

Crianças e adolescentes
Na tarde do dia 19, quinta-feira, no auditório do CRP, foi realizada uma roda de conversa intitulada “Como temos cuidado da saúde mental da criança e do adolescente“. A mesa de debate foi coordenada por Maria Constatini, psicóloga do Tribunal de Justiça de São Paulo. Participaram o psicólogo Décio de Castro Alves especialista em Saúde Mental pública; e Luís Fernando de Oliveira Saraiva, mestre em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano e conselheiro do CRP SP; e a psicóloga e psicanalista Maria Luíza Santa Cruz, coordenadora de NASF em São Paulo.


A agenda da Semana também deu atenção à saúde mental de crianças e adolescentes
Foto: Sergio Valério / CRP SP
Sem fugir ao tema da Semana, as explanações seguiram na direção de propor ações mais concretas para a Luta Antimanicomial, focando na atenção que deve merecer a faixa etária que atinge crianças e adolescentes. Para isso, se valeram de experiências exitosas realizadas em seus locais de trabalho.

Fernanda Magano, diretora tesoureira do SinPsi e diretora presidente da Federação Nacional dos Psicólogos-Fenapsi, foi a convidada do Conselho para, à noite, também no CRP, realizar uma “Oficina sobre o PL do Ato Médico“. O objetivo do encontro foi discutir a necessidade de se retomar a participação ativa dos psicólogos para o enfrentamento do projeto de lei, propondo ações que brequem a possível aprovação do dispositivo pelo Senado, ainda neste ano. Em sua explanação, a psicóloga procurou deixar claro que a Psicologia não é contrária à regulamentação da Medicina, no entanto, os psicólogos não concordam quando o texto atinge.


Fernanda Magano frisou a necessidade de retomada da luta contra o PL do Ato Médico
Foto: Sergio Valerio / CRP SP

A igualdade é branca
A sala de cinema Reserva Cultural, em São Paulo, cedeu suas dependências para a exibição do filme A igualdade é branca (Krzysztof Kieslowski,Polônia, 1994). O filme aborda a econômica e cultural entre o Leste e o Oeste europeu, mesmo após duas décadas da queda do Muro de Berlin. O CRP SP convidou o consultor na área de Direitos Humanos Domiciano José Ribeiro Siqueira para discutir, na sequência, aspectos do longa. Na condição também de consultor em processos de exclusão social com ênfase no uso de drogas e de presidente da Associação Brasileira de Redução de Danos, Siqueira levantou aspectos do filme que tinham a ver com temas abordados durante a Semana da Luta Antimanicomial, interagindo como público presente.


Domiciano Siqueira utlizou sua experiência em DH para falar sobre A igualdade é branca
Foto: Sergio Valerio / CRP SP
Economia solidária
No sábado, dia 21 de maio, no estacionamento do campus da Unifesp, em São Paulo, foi realizada a V Feira de Saúde Mental e Economia Solidária. O evento já se tornou tradicional nas Semanas de Luta Antimanicomial e significa a oportunidade para que projetos e empreendimentos econômicos solidários, geridos por trabalhadores usuários dos serviços e coletivos da Saúde Mental possam expor e vender sua produção. No evento, os usuários puderam expressar sua capacidade criativa e produtiva em projetos de arte, cultura e trabalho.


Capacidade criativa foi marca na Feira de Saúde Mental
Foto: Marisa Maria da Silva / CRP SP
Outros eventos pipocaram por todo o Estado, durante e depois da Semana. Além do CRP SP, prefeituras, entidades e comunidades compromissadas com a Luta Antimanicomial puderam dar o seu recado, organizaram atividades que deixaram claro que a reforma psiquiátrica é uma realidade, muitas conquistas foram alcançadas, mas ainda há um longo caminho até que o último leito psiquiátrico seja definitivamente desativado. Até 2012!

+++ Fotos e Vídeos da Semana da Luta Antimanicomial:

Semana da Luta Antimanicomial, por Mario Moro (clique aqui)

Dia 24 Luta Antimanicomial em Sorocaba: cidade onde a Reforma Psiquiátrica não ocorreu (clique aqui)

V Feira de Saúde Mental e Economia Solidária: Muita diversão, trabalho e diversidade (clique aqui)

Assista também vídeos das apresentações culturais na V Feira de Saúde Mental e ECOSOL (clique aqui)

Anúncios

One Response to Semana da Luta Antimanicomial 2011, por CRP-SP

  1. estive no ano passado em brasilia na Luta Antimanicomial
    acho muito bom isto .mais eu queria participar mais . sou da cidade de votorantim acho tudo muito valido

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: